CDL Nova Prata

Carregando...

Sobre a CDL

HISTÓRICO

ANOS 70:  Formação do movimento lojista em Nova Prata

 

Fundada em 13 de outubro de 1972, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Nova Prata surgiu da necessidade de troca de informações entre lojistas e de uma ação que representasse os interesses dos empresários do município. Atualmente a entidade representa 370 empresas associadas. Desde os primórdios de sua existência são marcas da entidade a união e superação mesmo em momentos de extrema dificuldade.

O final dos anos 70 era de uma mudança cultural. Falar de crediário, fazer ficha cadastral e pedir documentos era um processo constrangedor naquela época. Todos se conheciam e a rotina do caderninho de anotações era uma realidade muito presente. Aos poucos as empresas foram crescendo a necessidade de uma organização melhor se fazia cada vez mais presente.

Entre 1972 e 1973 o presidente foi Angelin  Manfredi Sobrinho. Uma ação social para socorrer vítimas de uma enorme enchente em 1973 na cidade de Tubarão foi o primeiro desafio dele. Telefones funcionavam a manivela e  havia necessidade de um contato com uma central telefônica. Foram arrecadados donativos com lojistas e a Sociedade Grêmio Pratense ofereceu um espaço para acolher o material arrecadado. Foram necessários dois caminhões para levar até as famílias atingidas.

Presidente na Gestão entre os anos 1974/1976 Valdir Denardi, lembra que a realidade naquela época era completamente diferente do que existe na atualidade.

- Naquela época não tínhamos acesso a todos os meios de informação que temos hoje. Tudo era feito na base do lápis, da caneta e da ficha manual. Até a máquina de escrever era considerada um recurso para poucos – contou Valdir.

Quem por mais tempo esteve à frente da CDL Nova Prata foi Delmo Bernardo Cherubini que presidiu a CDL em vários momentos. 76/77, 77/78, 81/82 e 82/83. Eram tempos de muita superação e improviso para que as coisas começassem a acontecer.

- A dificuldade era tanta que não tínhamos caixa para alugar uma sala e manter um empregado. Foi quando o sócio Ercy Lazzarotto nos cedeu uma sala sem custo e para funcionário empreguei meu filho, sem custo – contou.

A adesão de carnês com data de vencimento e valor da parcela facilitou muito o controle do fluxo de caixa permitindo ao lojista ter o controle financeiro e melhores previsões de receitas, recorda o presidente da gestão 1978/1979, Moacir Durli.

No período que Jayme Borges de Castilhos comandou a CDL, entre 1979 e 1980, o cenário era de perspectivas de crescimento. A diretoria trabalhou de forma intensa na busca de associados. A sede ficava onde hoje funciona o Grand´s Bar. A linha de telefone era emprestada e através do esforço individual de cada colaborador e diretoria se buscou empresas que ainda fazem parte da história como Fioravante   Volpato,  Pastifício Caxiense, Severino Pandolfo  e Banco do Brasil.

 

ANOS 80: Superando desafios

No início da década de 80 os desafios eram bem diferentes. Ady Izabel Tomedy (Nenê) lembra que o telefone fixo era caro e pouco acessível. Chegou a servir de avalista para que a compra pudesse ser efetivada.

- Foi através do esforço inabalável de todos os dirigentes e associados que a CDL cresceu e tornou-se uma entidade com autoridade, credibilidade e competência – disse.

O período em que Lerides A.M. Refatti comandou a entidade foi marcado por sucessivos planos econômicos, que trouxeram enormes dificuldades financeiras para a população brasileira. A instabilidade econômica era o grande problema no país.

- Naquele período precisávamos unir forças. Foi com sabedoria, apoio e participação de toda diretoria e conselho deliberativo que trabalhamos. Aprendemos muito e crescemos com as dificuldades – lembrou Lerides.

Durante a gestão de Paulo Antônio Minozzo que presidiu a CDL entre 1987 e 1988 foram resolvidas inúmeras questões pertinentes aos associados e ao consumidor. A entidade esteve sempre atenta aos problemas que o comércio enfrentava.

Claudimir Justi presidiu a CDL Nova Prata entre 1988 e 1989, numa época muito difícil com carência de estrutura física e de pessoal. Além disso havia um distanciamento da entidade com os associados. Para mudar aquele quadro foram intensificados eventos e ações que pudessem trazer o associado de volta para o movimento lojista.

 

ANOS 90: Uma nova era

Mário Augustinho Busnello esteve à frente da CDL Nova Prata entre os anos de 1989 e 1992 e ressalta valores e características importantes percebidas no povo do município.

- Todos devem se orgulhar de viver em Nova Prata. É uma cidade maravilhosa de viver e conviver. Os comerciantes devem aproveitar, pois é geograficamente bem posicionada e economicamente viável.

Quando ainda era um Clube de Serviços, a entidade teve como líder Adolfo Perin. Funcionava no segundo andar de uma casa particular e tinha um porte muito menor do que existe hoje.

- Aprendi muito e continuo aprendendo. Na minha  opinião acredito que cada membro da diretoria ou de departamentos deveria assumir o cargo de presidente porque é uma lição que se aprende e se carrega para o resto da vida – disse.

A partir de 1994 a nomenclatura mudou, deixando de existirem os Clubes de Diretores Lojistas, passando a se configurar no formato atual de Câmara de Dirigentes Lojistas. A simbologia foi modernizada e estilizada, passando a ser representada pela Nau Fenícia, que evoca a saga de um povo que enfrentou todas as adversidades para promover seus ideais de desenvolvimento,  ainda na gestão de Adolfo Perin.

Nos anos de 1995, 96  e 97 a liderança na CDL Nova Prata foi exercida por João Roberto Bombardelli que recorda a enorme dificuldade de não ter dinheiro em caixa.

- Chegávamos ao ponto de temer o pedido de falência. Graças a boa vontade e muito trabalho recuperamos e podemos dizer que somos uma entidade representativa não só para Nova Prata, mas para toda região. Uma entidade só cresce quando os dirigentes são imparciais e comprometidos com seus colaboradores – disse.

A relação com o movimento lojista para Rogério Mendes Colla tem um carinho ainda mais especial. Ele assumiu o lugar do pai na diretoria, há 25 anos, e foi presidente na gestão de 1998/2000 vivendo muitos momentos importantes.

- Tínhamos instalações precárias e uma sala pequena. Hoje a CDL tem um espaço amplo, bonito e confortável – disse.

Rogério Mendes Colla viveu intensamente um dos momentos mais importantes da história da entidade, quando houve o convite para concluir a obra do Centro Empresarial Vicencio Paludo. A entidade assumiu um compromisso financeiro grande, mesmo sem ter recursos sobrando em caixa em grande demonstração de coragem e união angariando fundos para que o sonho pudesse se tornar realidade. Mais uma vez a Diretoria e Associados, responderam positivamente.

Em sua gestão, outubro de 1998,  iniciou a Sexta-feira Especial,  e se manteve até dezembro/2009, um evento que transformou, mudou e ficou marcado no comércio de Nova Prata, através da participação dos associados,  persistência e organização da entidade.

 

ANOS 2000: Crescimento e desenvolvimento

O novo milênio chegou com a gestão de João Roque Zechin, entre 2001 e 2002.  Entre os grandes desafios buscou treinamento e desenvolvimento dos executivos do comércio, o que trouxe grande avanço no segmento. Também consolidou a conquista de um espaço para a nova sede.

- Acredito que podemos fazer sempre mais e melhor. Nosso desafio é reinventar o comércio a cada dia se quisermos crescer – afirma.

A primeira edição do Liquida Nova Prata foi realizada entre 2003 e 2004 quando Ivete Maria Justi foi presidente da entidade. A intenção foi aquecer as vendas no comércio do município. A gestão também teve como marca um convênio importante com uma empresa de telefonia que elevou em 25% o número de associados.

O presidente na gestão de 2005 /2008, André Perin, lembra também a importante atuação da equipe interna da CDL que faz toda diferença para atingir os objetivos. A soma dos esforços é ressaltada por ele como fórmula do sucesso.

Presidente interino na gestão 2007/2008, José Carlos Gatto procurou dar andamento à conquistas que já vinham sendo feitas. Entre ações importantes estiveram o lançamento de mais uma edição do Liquida Tchê em Nova Prata que contou com a presença do presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

A presidente com o mandato mais curto, foi Marlene Toscan Guadagnin, que assumiu de forma interina o comando da CDL Nova Prata.

- O pouco tempo de mandato em momento algum foi menos intenso ou desafiador. Desde o primeiro dia até o último compromisso tive aprendizados que levarei para vida toda – declarou.

A união do movimento lojista impressionou Agenor Dutra, que foi presidente entre 2009 e 2010.

- A missão para mim parecia impossível, mas com ajuda de vice-presidentes encarei o desafio sabendo que sempre poderia contar com todos. A união foi extraordinária e, hoje, consigo entender porque somos tão grandes – declarou.

Secretária executiva da CDL Nova Prata desde 1988, Neli Toscan Vieira, lembra que a busca pelo aprendizado deve ser eterna. A aprendizagem nos mais de 25 anos de CDL permitiu a Neli conviver e viver muitas emoções. 

- Precisamos permanentemente de atualização, seja qual for o cargo, função ou profissão que exercemos – defende Neli.

Atual presidente, Jorge Capelari, ressalta o compromisso assumido na entidade, por manter feitos importantes e buscar ainda mais benefícios e melhorias para o comércio municipal.

- Ao olhar para trás vamos resgatar ações e atitudes que deram certo e usá-las como subsídios para ações futuras tornando-as mais modernas e competitivas. Este é o nosso desafio. O combustível para encontrarmos coragem é a família, amigos e a comunidade – declara.

A CDL Nova Prata passou a se tornar referência transformando Nova Prata num polo comercial regional, através de campanhas, cursos e palestras.

- Poder servir de apoio e ter a preocupação de propor integração e ferramentas ágeis aos seus associados é a missão maior da CDL. Não somos nós que merecemos parabéns e sim os lojistas que fazem da nossa entidade uma referência para região – completa o presidente na gestão 2011/2012, Jorge Capelari.

 

Promovendo e incentivando o comércio de Nova Prata

As campanhas de prêmios são realizadas há mais de dez anos pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Nova Prata e ajudam a estimular as compras no comércio do município. A CDL atua com treinamentos e workshops nas mais variadas áreas. Entre atividades recentes, por exemplo, foram feitos treinamentos para Análise de Crédito, Atendimento ao Telefone, Atendimento ao Cliente e Administração de Tempo. O programa, Q Comércio, desenvolvido pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul, também é tema de recorrentes encontros.

A CDL Nova Prata exerce também importante atuação política e econômica através de negociações com governos para que o comércio seja cada vez mais fortalecido. As bandeiras dos lojistas são sempre defendidas com afinco pela CDL em busca do desenvolvimento da economia local gerando renda e oportunidade de emprego para milhares de pessoas.

 

HISTÓRICO DOS EX-PRESIDENTES

ANOS 70

DIRETORIA 1972/1973 PRESIDENTE: Angelin Manfredi Sobrinho  

DIRETORIA 1973/1974 PRESIDENTE: Angelin Manfredi Sobrinho

DIRETORIA 1974/1976 PRESIDENTE: Valdir Denardi

DIRETORIA 1976/1977 PRESIDENTE: Delmo Bernardo Cherubini

DIRETORIA 1977/1978 PRESIDENTE: Delmo Bernardo Cherubini

DIRETORIA 1978/1979 PRESIDENTE: Moacir Durli

DIRETORIA 1979/1980 PRESIDENTE: Jayme Borges De Castilhos

 

ANOS 80

DIRETORIA 1980/1981 PRESIDENTE: Ady Izabel Tomedi

DIRETORIA 1981/1982 PRESIDENTE: Delmo Bernardo Cherubini

DIRETORIA 1982/1983 PRESIDENTE: Delmo Bernardo Cherubini

DIRETORIA 1983/1985 PRESIDENTE: Ercy Antonio Lazzarotto

DIRETORIA 1985/1987 PRESIDENTE: Lerides Angela Martini Refatti

DIRETORIA 1987/1988 PRESIDENTE: Paulo Antonio Minozzo

DIRETORIA 1988/1989 PRESIDENTE: ClaudimirJusti

DIRETORIA 1989 PRESIDENTE: Mário Augustinho Busnello

DIRETORIA 1989/1990 PRESIDENTE: Mário Augustinho Busnello

 

ANOS 90

DIRETORIA 199O/1992 PRESIDENTE: Mário Augustinho Busnello

DIRETORIA 1993/1994 PRESIDENTE: Adolfo Perin

DIRETORIA 1995/1996 PRESIDENTE: João Roberto Bombardelli

DIRETORIA 1997 PRESIDENTE: João Roberto Bombardelli

DIRETORIA 1998/1999 PRESIDENTE: Rogério Mendes Colla

 

ANOS 2000

DIRETORIA 2000 PRESIDENTE: Rogério Mendes Colla

DIRETORIA 2001/2002 PRESIDENTE: João Roque Zechin

DIRETORIA 2003/2004 PRESIDENTE: Ivete Maria Justi

DIRETORIA 2005/2006 PRESIDENTE: André Perin

DIRETORIA 2007/2008 PRESIDENTE Interino: José Carlos Gatto

DIRETORIA 2007/2008.PRESIDENTE Interino: Marlene Toscan Guadagnin

DIRETORIA 2007/2008 PRESIDENTE: André Perin

DIRETORIA - 2007/2008 PRESIDENTE Interino: Agenor Dutra

DIRETORIA 2009/2010 PRESIDENTE: Agenor Dutra   

Galeria das Diretorias

image
Diretoria 1972/1973
Diretoria 1973/1974
Diretoria 1974/1976
Diretoria 1976/1977
Diretoria 1977/1978
Diretoria 1978/1979
Diretoria 1979/1980
Diretoria 1980/1981
Diretoria 1981/1982
Diretoria 1982/1983
Diretoria 1983/1985
Diretoria 1985/1987
Diretoria 1987/1988
Diretoria 1988/1989
Diretoria 1989/1990
Diretoria 1990/1992
Diretoria 1993/1994
Diretoria 1995/1996
Diretoria 1997/1997
Diretoria 1998/1999
Diretoria 2000/2000
Diretoria 2001/2002
Diretoria 2003/2004
Diretoria 2005/2006
Diretoria 2007/2008
Diretoria 2007/2008
Diretoria 2007/2008
Diretoria 2007/2008
Diretoria 2009/2010
Diretoria 2011/2012
Diretoria 2013/2014
Diretoria 2015/2016
Diretoria 2017/2018